.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. DIA MUNDIAL SEM TABACO

. APROVEITE PARA DEIXAR O V...

. O TABACO E A SAÚDE

.arquivos

. Junho 2012

. Janeiro 2012

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds

Segunda-feira, 31 de Maio de 2010

DIA MUNDIAL SEM TABACO

 

As últimas notícias deixaram-me bastante alarmada. Na Indonésia, uma criança de 2 anos é viciada em tabaco e fuma cerca de 40 cigarros por dia. Os pais sentem-se orgulhosos por este recorde. É realmente chocante esta realidade. Pergunto-me como é possível que isto aconteça num mundo dito civilizado.

 

E depois olho em redor. Felizmente na maioria dos cafés já não se fuma. Mas nos poucos em que isso ainda é (de forma incompreensível) permitido, vêem-se pais a fumar para cima dos filhos. Crianças cujos pais sempre fumaram em casa ou no carro. Mulheres grávidas a fumar. Também esta realidade, bem mais próxima de nós, é igualmente decadente. Mostra um mundo onde nem o amor dos pais livra os seus filhos deste fumo mortal. Com tanta informação, será possível que isto ainda aconteça?

 

Porque hoje se comemora o Dia Mundial Sem Tabaco, é importante relembrar não apenas que o tabagismo é a principal causa evitável de morte, como também todos os benefícios que advém da decisão de deixar de fumar.

 

 

 

O fumo do tabaco é um aerossol constituído por uma fase gasosa e uma fase de partículas em suspensão. Para além da nicotina, contém mais de quatro mil substâncias, muitas das quais com efeito tóxico e irritante, exemplo das quais são o CO (monóxido de carbono), a acetona, o metano, a amónia, ... Tem ainda substâncias cancerígenas como alguns metais pesados, as nitrosaminas, os aldeídos e substâncias radioactivas.  A nicotina é a substância responsável pela dependência, visto que tem uma acção psicoactiva, condicionando os estados de humor do fumador. O alcatrão (partículas sólidas em suspensão) é responsável pelo amarelecimento dos dentes e dedos dos fumadores e contém muitos cancerígenos. O monóxido de carbono está relacionado com o desenvolvimento de doença isquémica coronária (ex: enfarte agudo do miocárdio - EAM).

Considera-se actualmente que o tabagismo tem como principais consequências: cancro, doenças respiratórias (DPOC), doenças cardiovasculares (AVC, EAM) e distúrbios na saúde reprodutiva.

Na infância e adolescência, o fumo do tabaco é lesivo para a maturação pulmonar, agrava a asma, diminui a capacidade física e aumenta o colesterol (LDL). Os pais tentam proteger os seus filhos da violência crescente e dos diversos perigos do mundo, mas será que também tentam protegê-los deste hábito socialmente aceite de fumar? Nos jovens a principal aposta deve ser a prevenção, antes que a dependência se instale!

 

 

Na gravidez, o consumo de tabaco causa diversos problemas no recém-nascido: baixo peso ao nascer (crianças com menos de 2,5kg), pré-termos (nascem antes das 37 semanas), placenta prévia e descolamento da placenta e mortalidade perinatal. Parece também aumentar o risco de abortamento espontâneo. Ainda assim, sabemos que cerca de 1 em cada 4 mulheres fumadoras continua a fumar durante a gravidez.

  

 

"Se você fuma durante a gravidez, o seu bebé também fuma."

 

É relativamente recente o conceito de que o fumo passivo (ou ambiental) também é bastante nocivo para a saúde dos não-fumadores e, foi este novo conceito, que veio estimular a criação da Lei do Tabaco em espaços públicos, para proteger os não-fumadores. Os fumadores passivos apresentam maior risco de cancro do pulmão, doenças cardiovasculares e patologias respiratórias.

 

 

Em termos epidemiológicos, enquanto que nos homens o consumo de tabaco tem vindo a diminuir, nas mulheres ocorre o inverso. Segundo o INS, em 2006 cerca de 37,5% dos homens entre os 25 e os 44 anos era fumador. Na mesma faixa etária, 17,5% da população feminina é fumadora.

 

Em Portugal, há 3500 novos casos de cancro pulmão por ano. 3000 portugueses morrem todos os anos com esta neoplasia. É o 2º carcinoma mais frequente no nosso país e o que mais mata. O risco de contrair cancro do pulmão é 30 vezes superior num fumador em relação à população em geral. Existem 2 milhões de fumadores no nosso país. 

"Você não fuma o cigarro. É o cigarro que o fuma a si!"

 

É possível deixar de fumar e, cada vez mais, há diversas opções terapêuticas ao dispor de quem tem vontade de o fazer. Existem Consultas de Cessação Tabágica em alguns hospitais e estas são uma ajuda importante para os dependentes do tabaco.

Porém, o mais importante é a motivação e a consciência dos diversos benefícios de deixar de fumar:

- 20 minutos após a cessação tabágica, o ritmo cardíaco baixa

- 12 horas depois, os níveis sanguíneos de CO atingem valores normais

- 2 semanas a 3 meses depois de deixar de fumar, o risco de EAM desce e a função pulmonar melhora

- 1 a 9 meses depois, diminuem a tosse e a falta de ar

- 1 ano depois, o risco de doença cardíaca coronária é metade do de um fumador

- 5 anos depois da cessação, o risco de AVC é igual ao de um não-fumador

- 10 anos depois, o risco de cancro do pulmão é metade do de um fumador; e o risco de outros cancros (boca, faringe, esófado, bexiga, rim e pâncreas) também diminui

- 15 anos depois, o risco de doença cardíaca coronária (EAM) é igual ao de um não-fumador

 

É ainda importante lembrar que parar de fumar antes ou nos primeiros meses de gravidez reduz o risco de ter um recém-nascido com baixo peso ao nascer para níveis idênticos ao de uma mulher não-fumadora. Por isso, também durante a gravidez a cessação tabágica é fundamental.

Estas evidências mostram que deixar de fumar traz benefícios a curto e longo prazo. Nunca é tarde demais para deixar o cigarro e mudar de vida!

 

Entre as opções terapêuticas para quem quer deixar de fumar estão, como terapêutica de 1ª linha:

- terapêutica de substituição da nicotina: pastilhas de chupar ou mascar e pensos transdérmicos que libertam nicotina, evitando assim os sintomas de privação tabágica, mas sem as substâncias nocivas do fumo do tabaco. Ao fim de algumas semanas vai-se diminuindo progressivamente a dose de nicotina até se culminar com a dependência da mesma.

 

 

- bupropiona: inibe a recaptação das catecolaminas, diminuindo a compulsão e o desejo de fumar, tal como os sintomas de abstinência. Tem um importante efeito antidepressivo. O tratamento tem uma duração de 7 a 9 semanas.

 

 

- vareniclina: é um agonisto parcial nicotínico que reduz a urgência em fumar, os sintomas de abstinência e a satisfação associada ao fumo do tabaco. O tratamento dura 12 semanas. Parece ser dos 3 fármacos aquele com maior sucesso na cessação tabágica. Deve ser utilizado com precaução em doentes com história psiquiátrica.

 

 

Existem ainda fármacos de 2ª linha, usados em situações que não cedem à terapêutica de 1ªlinha: nortriptilina (antidepressivo tricíclico) e a clonidina (agonista alfa2-adrenérgico).

 

Podem ainda revelar-se importantes grupos de apoio ou psicoterapia. Deixar de fumar deve ser uma meta pessoal e uma barreira a vencer. Torne esta a sua luta e passe a fazer parte do grupo dos não-fumadores!

 

 

publicado por Dreamfinder às 09:41

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 31 de Dezembro de 2007

APROVEITE PARA DEIXAR O VÍCIO

 

À beira de um novo ano e, simultaneamente, de uma nova lei - a Lei do Tabaco - aproveite para rever os malefícios do tabaco, aquela que é considerada a principal causa de morte evitável em todo o mundo pela Organização Mundial de Saúde:

 

- aumenta consideravelmente o risco de desenvolver cardiopatia isquémica e cancro do pulmão (principais doenças associadas à mortalidade derivada do tabagismo)

- desenvolvimento de aterosclerose

- doenças cerebro-vasculares (AVC)

- cancros (cavidade oral, laringe, faringe, esófago, pâncreas, bexiga, rins, colo do útero)

- doenças hormonais (menopausa precoce)

- osteoporose

- doenças respiratórias (bronquite crónica, enfisema, asma)

- doenças gastrointestinais (úlceras)

- diminuição da capacidade respiratória e do rendimento físico

 

 

O tabagismo é responsável por 90% das mortes por cancro do pulmão, 97% das mortes por cancro na laringe, 85% das por bronquite e enfisema, 25% das por doença cardíaca.

 

 

Os principais "venenos" que pode encontrar num cigarro são:

- a nicotina - droga psicoactiva, responsável pela dependência do fumador; actua ao nível do sistema nervoso central (SNC) e diminui a afluência sanguínea aos tecidos

- monóxido de carbono (CO) - diminui a oxigenação do sangue

- alcatrão - altamente cancerígeno

 

E ainda:

 

 

E agora aproveite o fim de 2007 e a nova lei do tabaco, reserve uma das 12 passas para um novo objectivo no novo ano, objectivo que contribuirá para que tenha muitas mais passagens de ano para festejar, diga NÃO ao vício do tabaco e sorria a uma VIDA SEM FUMO!

publicado por Dreamfinder às 14:21

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 23 de Março de 2007

O TABACO E A SAÚDE

 

Em termos do comportamento individual, a saúde é muito afectada por todo o tipo de comportamentos aditivos, como o consumo de álcool, tabaco, fármacos sedativos e hipnóticos, estimulantes, etc.

Actualmente o tabaco é a principal causa de cancro do pulmão, sendo cerca de 30% os fumadores regulares da União Europeia. Fumar diminui em cerca de 20 anos a esperança média de vida e 50% dos fumadores morrem de causas ligadas ao tabaco, metade deles em idade activa.

No total, o tabaco é responsável por 20% das mortes dos países desenvolvidos e é considerada a principal causa de morte evitável.

No entanto, é outra a perspectiva que preocupa a actualidade e tem sido motivo de notícia: os efeitos negativos do tabagismo passivo. Na realidade, as estimativas indicam um aumento de 24% de risco de neuplasia do pulmão nos não fumadores que vivem com pessoas que fumam.

Entre os objectivos que movem os políticos no século XXI está a diminuição para 20% do número de fumadores nos próximos 15 anos. Neste sentido o governo português criou uma nova lei relativamente ao acto de fumar em espaços públicos, deverá entrar em vigor no início do próximo ano.

Mais uma vez constatamos a intima relação estabelecida entre a saúde e os comportamentos, tal como a importância da prevenção no controlo do tabagismo: evitar a habituação tabágica e cessar a mesma, regulamentar as condições de fabrico e venda do tabaco, proteger os não-fumadores da exposição ao fumo passivo e criar um clima social em que não fumar seja a norma.

 

tags:
publicado por Dreamfinder às 22:55

link do post | comentar | favorito

.links